The Carrie Diaries – 01×01 – Pilot (Series Premiere)

   

tcd1x01 1 The Carrie Diaries – 01x01 – Pilot (Series Premiere)

É sempre o mesmo sonho. Estou na cidade… E aqui é o meu lugar. Manhattan é minha.
Mas acordo sendo a Carrie Bradshaw de sempre, que mora em Castlebury, Connecticut.

Sempre tive um receio com Sex and The City. A história de Carrie e suas três melhores amigas não me atraía em nada. Foi assim durante um bom tempo. Até que em 2008 resolvi dar o benefício da dúvida a essas quatro mulheres e assisti ao primeiro filme da série e não gostei. Achei a história muito rasa e, parecia, que os únicos problemas que as mulheres podem ter é em relação aos homens. Sem falar na insegurança, mulheres de mais de 40 anos agindo como se ainda tivessem 16.

Minha implicância com o nome “Sex and The City” permaneceu durante anos. Assisti o segundo filme e gostei ainda menos. Mas depois de muito pressão de uma amiga, resolvi dar uma chance à série, que ela jurava de pé junto ser infinitamente melhor que o filme. E ela tinha razão. SaTC é realmente uma delicia, além de muito divertida. Vi em forma de maratona as seis temporadas e quando acabei de ver todos os episódios, o vazio tomou conta. Como viver sem Carrie Bradshaw?

Eu ainda concordo, que muitas vezes, os únicos problemas das protagonistas eram relacionados aos seus parceiros sexuais, mas pelo menos na série isso funciona. Cada uma das amigas tem o seu jeito, sua personalidade e sua importância, mas nenhuma é igual Carrie Bradshaw. Peço desculpa aos fãs das outras três garotas, mas sem Carrie, Sex and The City não representaria, nem de perto, o que representou a série na TV americana.

Pensando nisso, a minha, a sua, a nossa querida rede de televisão The CW resolveu comprar os direitos de “Os Diários de Carrie” e fazer uma série baseada no livro da autora Candace Bushnell. Medo! Era medo o único sentimento que eu conseguia ter ao redor do prelúdio de Sex and The City. Como um grande fã da série mãe (se é que podemos chamar assim), eu não via necessidade de contar a história da jovem Carrie Bradshaw, não via necessidade de mexer com uma personagem com uma trajetória tão incrível como a primeira Carrie, interpretada brilhantemente por Sarah Linda Jessica Parker. Mas o meu pior medo era do dedo da CW nisso. Vejo quase todas as séries do canal e não tenho vergonha de falar que sou fã dessa emissora canalha, mas sei que eles não levam a coisa muito à sério e vira e mexe, tiram onda com a cara do expectador, e com isso, o meu medo de mexerem com Carriezinha só aumentava.

Mas o medo acabou se tornando curiosidade e, por isso, eu não tive alternativa ao não ser de dar uma conferida no piloto Resolvi abrir o meu coração e assistir para ver o que me esperava. E  já nos primeiros minutos a série me ganhou. Não precisou de muita coisa. Assim que Little Carrie entrou em cena, meus preconceitos foram embora e eu já estava apaixonado por The Carrie Diaries e, principalmente, pela nova Carrie.

tcd1x01 2 The Carrie Diaries – 01x01 – Pilot (Series Premiere)

Não estamos mais em 1998, o ano agora é 1984 (o/) e a nova Carrie está longe de ser aquela independente, forte e experiente mulher que conhecemos anteriormente. A nova Carrie acabou de ter o seu primeiro beijo e não sabe nada sobre garotos. Só sabe que gosta deles. A garota acabou de completar os tão sonhados 16 anos e está na flor da idade, louca para sair pelo mundo e se descobrir. Ok, não pelo mundo, Carrie sonha baixo, ela quer apenas ir para Manhattan e ver o que essa ilha tem tanto a lhe oferecer.  E ao receber a notícia que irá fazer um estágio em Manhattan, Carrie vê a oportunidade perfeita para se descobrir.

Mas nem tudo são flores na vida de Carrie. Além de conciliar a vida na escola, ela tem que se adaptar à perda da mãe, que morreu há três meses por decorrência de um câncer. Como já era de se imaginar, sua vida está uma bagunça, principalmente, no que diz respeito à irmã mais nova. Por sorte, Carrie pode contar com as suas duas melhores amigas, que assim como a protagonista, aos poucos vão se descobrindo.

A dinâmica entre Carrie, Mouse e Maggie é tão boa como a dinâmica entre as outras quatro amigas de SaTC. São três amigas, totalmente diferentes, mas que de alguma forma se completam. Mouse é a sonhadora e mais bobinha, enquanto Maggie é a mais atirada e parece ser a frente do seu tempo e, no meio disso, como sempre, temos Carrie, sendo o meio termo entre elas.

Querendo ou não querendo, Mouse me lembrou Charlotte. Mouse é sonhadora, daquelas que acha que todos os garotos são príncipes encantados, que a levará para passear em cima de um cavalo branco e ao descobrir que o mundo não é assim, acaba se decepcionando e achando que a culpada é ela, quando na verdade não é. Tudo bem que ela não deveria ter liberado o cartão V tão cedo, mas nada justifica o pé na bunda que levou do tal Seth, que espero que apareça nos próximos episódios para nos dar uma justificativa por ter feito isso com a pobrezinha. Foi de cortar o coração a cena dela deitada no chão olhando o mural de fotos dos dois – quer coisa mais anos 80 que isso?

Se tem alguém que vai dar o que falar nesta série, esse alguém é Maggie. Mesmo com o pouco destaque dado a ela, me diverti muito com a garota. Todos se chocam ao saber que ela não perdeu a virgindade com o namorado, mas sim com um policial mais velho! Como eu disse, foi uma pena ela não ter tido tanto destaque no episódio, mas acredito que tenha sido intencional, devido à surpresa final de estar traindo o namorado.

Além de Mouse e Maggie, Carrie ainda conta com o apoio de seu melhor amigo Walt. E  talvez seja justamente a trama dele a que tenha me despertado o maior interesse. Se atualmente já é difícil sair do armário, imagina na década de 80? Tenho boas expectativas em relação ao personagem.

tcd1x01 4 The Carrie Diaries – 01x01 – Pilot (Series Premiere)

Acredito que tenha sido por conta da trama familiar de Carrie que eu tenha me apegado tanto à série logo no piloto. Todos ali estão machucados, mas querendo mostrar que estão fortes e que unidos eles irão vencer. E eu não tenho dúvida disso. A recente morte da mãe foi um baque, já que pelo visto, ela era a força da casa. O pai parece estar perdido, não sabendo como tocar a vida e como lidar com as filhas, que estão crescendo rápido demais.

Dorrit, por exemplo, tem apenas 14 anos, mas já está usando drogas, chega em casa só no outro dia, ainda por cima bêbada, e pelo visto tem tendências cleptomaníacas. Apesar dessa bagunça que é a personagem, eu gostei da franqueza de caçula. Mesmo sendo a mais jovem, talvez seja ela a única que estaria sendo sincera. Enquanto Carrie e Tom estavam fingindo que estavam bem, Dorrit com suas atitudes mostrou a eles que nada está bem e que eles vão precisar se adaptar sem a presença da mãe.

Todo a caminho percorrido durante o episódio, até chegar à parte final, onde eles estão empacotando as coisas da matriarca é realmente emocionante. Cada pessoa lida com a morte de uma maneira diferente, eu, por exemplo, não gostaria de entrar num quarto cheio de coisas da minha mãe morta, por isso, foi fundamental eles empacotarem as coisas e acabar com aquele memorial, que não estava ajudando em nada.

Se Sex and The City tratava dos amores de Carrie, The Carrie Diaries vai tratar do primeiro amor da personagem principal, isto pelo menos no inicio. Sebastian, bad boy assumido, já foi expulso de várias escolas, agora estuda na mesma escola que Carrie, mas o que ninguém sabia é que eles já se conheciam e já até tinham se beijado. Gostei muito da historinha envolvendo o casal, o plot da piscina foi legal, mas os dois ainda não me convenceram como um casal. Os dois são engraçadinhos, mas faltou algo a mais. Algo que deverá vir nos próximos episódios, acredito eu.

tcd1x01 3 The Carrie Diaries – 01x01 – Pilot (Series Premiere)

O grande ápice desse episódio foi a chegada de Carrie a Manhattan e as consequências disso. Não que eu não tenha gostado, mas achei as cenas rápidas e tudo foi muito fácil para Carrie. Então, se eu personalizar uma bolsa, ir a uma loja de roupa, eu vou encontrar uma fada madrinha ladra, que vai me ajudar a realizar o meu sonho? As coisas não são assim. Mas eu perdoo, porque o episódio foi mesmo uma graça e ver os primeiros passos de Carrie à conquista de Manhattan foi demais!

Tudo em The Carrie Diaries funciona. Tudo mesmo. O cenário, as roupas, a trilha sonora (impecável, por sinal), tudo, tudo contribuiu para termos um ótimo episódio piloto. Quem me conhece sabe que sou apaixonado pela década de 80 então, daqui pra frente, vai ser um presente acompanhar essa delicinha que se tornou TCD.

Mas o mais legal de tudo é que a série não tenta ser Sex and The City em momento algum. É claro que é impossível não compará-las, mesmo não achando justo, já que uma não tem nada a ver uma com a outra.  The Carrie Diaries assumiu uma personalidade própria e muito boa de se ver em cena. É claro, que hora e outra, teremos homenagens, como a do começo do episódio, que lembrou muito a abertura da primeira série. Mas não vai passar disso: de boas homenagens para os fãs de SaTC.

Outro positivo do episódio foi a atuação da AnnaSophia Robb. A única vez que a vi atuando foi “A Fantástica Fábrica de Chocolate”, ma só agora percebi que a garota manda muito bem! Deu uma cara nova a uma personagem tão fantástica como Carrie. Conseguiu pegar muito bem a essência da personagem e dar um toque particular, que era preciso.  Ela se saiu tão bem que conseguiu pegar até o mesmo jeito de andar da Sarah Jessica Parker. Gostei tanto da atuação da garota, que a falta de nariz nem chegou a me incomodar.

Espero muito que os próximos episódios continuem tão lindos como este. The Carrie Diaries tem tudo para ser o novo hit da CW e, sinceramente, espero que seja. Josh Schwartz (“The OC”, “Gossip Girl”) sabe muito bem começar uma série, a minha preocupação com ele é só depois da segunda temporada. O fato é que todos os envolvidos na produção da série têm um ótimo material nas mãos, que tem tudo para ser um novo sucesso. Pelo menos da minha parte, não tenho nada a reclamar, só a agradecer por esse ótimo presente que foi The Carrie Diaries.

   

Sobre Maurício Cândido Jr.

Completamente viciado em séries. Divide seu tempo entre a faculdade de direito e, o que mais gosta de fazer, ver suas séries queridas. Vê de tudo, sem preconceito algum, mas prefere os dramas. Siga-o no twitter @mauriciocjr

Comentários

  1. César disse:

    Maurício, entre o pilot de The Carrie Diaries e Gossip Girl qual é sua ênfase individual e a sua preferida? Ainda não pude assistir The Carrie Diaries mas penso que seja tão bom quanto GG de um modo diferente sobre o mesmo “mundinho de elite”. Sobre a dúvida de meus amigos se puder responder ficarei extasiado: Maurício, queríamos saber qual, na sua opinião, é a melhor e a pior temporada de GG. Não consideramos nenhuma ruim mas sempre há as que se sobressaem, afinal gossip girl é fantástico. Se quiser colocar as 6 temporadas em ordem pode fazê-las. Esperamos sua surpresa também “melhor do que o top 10 da série X”.

  2. Camila Cerdeira disse:

    Vou já começar meus comentários com um enorme discordo. The Carrie Diaries, assim como Sex and the City, não é uma série sobre garotos, é sobre garotas. Sim, TCD é sobre o primeiro amor de Carrie, mas não é Aidan, Mr. Big e muito menos é o Sebastian. O primeiro amor dela é Manhattan, a cidade que a transformou e fez ela encontrar sua própria voz.
    Foi exatamente esse o ponto que me fez gostar dessa série, Carrie não é e nem poderia ser a tipica mocinha de série teen da CW que fica esperando o amor épico e idealizado. Isso não é Bradshaw, se fosse ela teria terminado com o Aidan. Carrie é a princesa que mata seus próprios dragões e que no final do episódio manda o bonitão passear e ainda diz que é só isso por enquanto.

    Eu realmente consegui ver traços adolescentes que fariam Carrie se tornar A Carrie.

    Antes de me responder o comentário, favor ir assistir Ponte Para Terabitia e Em Busca da Felicidade coma AnnaSophia Robb e leve lencinhos.

    Também acho que o plot mais interessante será o do Walt e faço votos que a Carrie não demore a notar, ela foi a unica que recebeu algum tipo de pista sobre o assunto.
    A irmã da Carrie me irritou um tanto, talvez por eu sei a irmã mais velha acabo sendo mais empática com a pressão que se deu sobre a Carrie. Entendo por que ela tem agido do jeito que tem agido e como é surtar com esse tipo de pressão.

    Também não fui nada com a cara da Larissa,mas vamos acompanhar né.

  3. Djair disse:

    Assisti ontem o piloto de TCD e fiquei cativado… no começo eu me senti um pouco desinteressado pela trama… achei que seria na onda bitvh mas quebrei a cara, ainda bem… de modo tímido mas sempre crescente fui totalmente convencido a ver os próximos…. lembra as melhores séries da década de 90… foi muito bem feito e espero que continue assim…

  4. obs comparar tcd com gg não tem como perspectivas diferentes sobre o foco da série…

  5. Maurício, adorei sua review!
    The Carrie diaries era uma série que eu não pretendia assistir. Vi um episódio de Sex and the city e não gostei. Não vi os filmes. Mas li a sua review e por curiosidade assisti a série. Amei!
    Gostei não apenas da série como tb amei a trilha sonora. Sou louca por música e tenho um carinho especial pela década de 80.

Seu Comentário

*