As Helenas de Manoel Carlos

   

 As Helenas de Manoel Carlos

Não adianta negar, o povo brasileiro ama novelas. Desde a época em que Janete Clair dominava as atenções do público com tramas envolventes e reviravoltas impressionantes. E se existe um autor que sabe lidar com o cotidiano  e o público gosta, esse autor é Manoel Carlos.

As novelas de Maneco, como o autor é conhecido, tem a maior parte de suas ações no bairro do Leblon e desde Baila Comigo, em suas novelas na Globo, sua protagonista tem um nome: Helena.

 As Helenas de Manoel Carlos

Regina Duarte, Manoel Carlos e Ana Paula Arósio

 As Helenas de Manoel CarlosMuitos se perguntam de onde vem essa admiração pelo nome. Alguns jornalistas já perguntaram se foi um amor ou uma homenagem à alguém de sua família, mas Maneco disse que não. Helena é uma homenagem à Helena de Tróia, conhecida como a mulher mais bonita do mundo. Helena foi capaz de mobilizar uma guerra que durou mais de dez anos.

Em comum entre as Helenas de Manoel Carlos existe o Amor. Todas as Helenas do autor amaram e erraram e passam a novela toda pagando pelo seu erro e tentando acertar. Elas mentem, manipulam e não são vilãs.

Em Baila Comigo, a primeira Helena omitiu de seu filho que ele tinha um irmão gêmeo. Em Felicidade, Helena não contou para sua filha quem era seu verdadeiro Pai. A Helena de História de Amor teve que cuidar da gravidez da filha adolescente, que na verdade não era sua filha e sim sobrinha. Já em Por Amor, Helena errou e trocou seu filho pelo neto morto, para que sua filha, Maria Eduarda, pudesse ser mãe. Em Laços de Família, além de abrir mão de seu namorado, Helena engravida novamente para salvar a vida da filha com leucemia. Na trama de Mulheres Apaixonadas, Helena se arrisca e decide se entregar ao amor e abandonar um casamento estável, mas infeliz. E a última Helena que conhecemos, a de Páginas da Vida, perdeu sua filha e acabou criando uma menina, abandonada pela avó materna, que sofria de Síndrome de Down.

Mulheres guerreiras, corajosas e que amam intensamente. Essas são as Helenas de Manoel Carlos, um homem que entende a alma feminina e tem um público cativo em suas novelas, que são sempre cheias de encontros, desencontros, mentiras e amor.

Segue a lista das Helenas que já emocionaram o público.

Lilian Lemmertz

 As Helenas de Manoel Carlos

No ano de 1981, a novela Baila Comigo trouxe  a primeira Helena de Manoel Carlos. Na história, João Victor e Quinzinho são irmão gêmeos idênticos, mas não sabem da existência um do outro.  Helena não poderia criar os filhos ao lado de Joaquim Gama, pai das crianças, então acabou entregando um dos gêmeos, João Victor, à Joaquim e ficou com o outro, Quinzinho.

O tempo passou e João Victor cresceu e virou um rapaz sério e dedicado aos negócios da família. Acabou indo morar em Portugal com o pai que era casado com Marta, mulher orgulhosa e fútil. Quinzinho cresceu com o temperamento oposto ao do irmão. Trabalhava como gerente de um banco e morava com a mãe, Helena, e o homem que pensava ser seu pai, Plínio.

Joaquim descobriu que estava doente e resolveu voltar ao Brasil e procurar saber sobre o paradeiro do outro filho, trazendo à tona os sentimentos de culpa de Helena.

Curiosidades:

Baila Comigo teve 167 capítulos exibidos entre Março e Setembro de 1981. Os gêmeos João Victor e Quinzinho  foram interpretados por Tony Ramos.  Inicialmente, Manoel Carlos pensou em Fernanda Montenegro para o papel de Helena, mas por ordem da emissora desistiu da idéia, mas criou para Fernanda uma personagem na novela, Silvia Toledo.

Confiram a abertura de Baila Comigo:

Maitê Proença

maitê As Helenas de Manoel Carlos

Dez anos depois da primeira Helena,em 1991, Maitê Proença deu vida a segunda heroína de Maneco e a primeira dos anos 90.

Na fictícia Vila Feliz, Helena e Álvaro se encontram e se apaixonam. Mas Helena acaba casando com Mário.  O casamento não da certo e Helena acaba engravidando de Álvaro, que está de casamento marcado com Débora.  Decidida a não acabar com o relacionamento de Débora e Álvaro, Helena decide assumir a gravidez sozinha e longe de seus pais. Oito anos depois, no Rio de Janeiro, Helena reencontra Álvaro e esconde dele e de todos, a paternidade de sua filha, Bia. Como nas novelas de Manoel Carlos o destino é traiçoeiro, Bia acaba ficando amiga de Alvinho, filho de Débora e Álvaro.

Curiosidades:

Felicidade teve 203 capítulos exibidos entre 7 de outubro de 1991 até 30 de maio de 1992. A novela foi baseada nos contos de Aníbal Machado: Tati, a garota; A morte da porta-estandarte; Viagem aos seis de Duília e O Piano.

Felicidade teve a missão de elevar a audiência do horário das 18h e foi um sucesso. Na média geral deu 45 pontos de audiência e em vários capítulos passou dos 50.

Maitê Proença quase não pôde interpretar a protagonista de Manoel Carlos, por esse motivo, Cristiana Oliveira e Vera Fischer foram convidadas para o papel.

No dia 28 de maio de 1992, quinta-feira, foi ao ar a cena em que Helena revelava a Bia que Álvaro era seu pai. A cena mexeu tanto com o público que, a pedidos, o capítulo foi reprisado na sexta-feira, 29 de maio, e o último capítulo da novela só foi exibido no sábado, dia 30. Assim, a reprise do último capítulo só foi ao ar na segunda-feira, 1 de junho, as 17h, antes da exibição de Despedida de Solteiro.

Vejam a abertura de Felicidade:

Regina Duarte

regina1 As Helenas de Manoel Carlos

Em 1995, a novela História de Amor marcou a primeira parceria de Manoel Carlos e Regina Duarte. A história girava em torno de Helena, mãe da jovem e rebelde Joyce que se descobre grávida do namorado inconsequente, Caio. Paralelamente a vida conturbada de Helena, vive o médico endocrinologista Carlos, noivo da socialite decadente Paula. Carlos não é do tipo de homem que acredita no amor. Antes de ficar noivo, o médico teve um relacionamento de dez anos com sua sócia Sheila, que não esqueceu o que viveu com seu sócio e vai fazer de tudo para ficar com ele.  Após um encontro inesperado, Carlos conhece Helena e os dois se apaixonam, mas a vida impõe inúmeros conflitos na história dos dois. Assunção, ex-marido de Helena, não se conforma com a gravidez da filha e ainda tenta controlar os passos da ex-mulher, mesmo já estando casado e tendo construído uma nova família.

Curiosidades:

História de Amor teve 209 capítulo e foi exibida entre 3 de julho de 1995 até 2 de março de 1996.  A média geral da novela foi de 40 pontos de Ibope e a trama caiu no gosto do público e crítica. Em 10 de dezembro de 2001 a novela voltou a ser reapresentada no Vale a Pena Ver de Novo, até o dia 28 de junho de 2002. Nessa nova exibição a trama teve 145 capítulo e atingiu a marca de 26 pontos no Ibope.

A primeira sinopse de História de Amor contava a trajetória de um triângulo amoroso envolvendo Helena, Carlos e Joyce, respectivamente, mãe, filha e namorado da mãe.  Como a novela foi aprovada para o horário das 18h, Maneco modificou a trama e guardou para usar em outra oportunidade.

A trama ainda abordou o câncer de mama vivido por Marta, Bia Nunes. O drama vivido pela personagem ajudou no aumento do numero de exames preventivos feito pelas mulheres durante a exibição da novela. Além do câncer, os deficientes físicos também foram lembrados. Nuno Leal Maia, o Assunção na trama, após ficar paraplégico, continuou praticando esportes, mostrando que os deficientes também podem ser esportistas.

Se ficou com saudade, veja a abertura de História de Amor:

regina2 As Helenas de Manoel Carlos

Em 1997, dois anos após viver sua primeira Helena, Regina Duarte viveria uma história que pararia o Brasil. Qual o tamanho do seu amor por um filho? O que você faria Por Amor?

Helena e a filha, Maria Eduarda, são amigas, companheiras. Em uma viagem pela Itália as duas conhecem Atílio e Helena se sente encantada por aquele homem. No Brasil, Maria Eduarda esta  noiva de Marcelo. Algumas idas e vindas, Marcelo e Maria Eduarda acabam se casando e Atílio e Helena também. As duas recomeçam suas vidas juntas.  E como casaram, também ficam grávidas ao mesmo tempo e dão à luz no mesmo dia.  Helena tem o parto normal, nascendo assim um menino saudável. Mas o parto de Eduarda é complicado. Seu filho nasce morto e,  por complicações no parto, a jovem também  perde o útero, não podendo mais realizar o sonho de ser mãe. Desesperada, já que a filha passa por um momento dificil, Helena convence César, obstetra apaixonado por Eduarda, a trocar os bebês.  Eduarda passa a criar o irmão como sendo seu filho e Atílio acaba sofrendo com a perda de seu filho com Helena. O que faz o relacionamentos dos dois desmoronar. Para aliviar a culpa que carrega, Helena escreve em seu diário tudo o que aconteceu e o que acontece com ela. E nesse diário esta escrito o grande segredo da troca das crianças. Acidentalmente, um dia, Eduarda lê o diário e descobre toda a verdade.

Curiosidades:

Por Amor teve 190 capítulos e foi exibida entre 13 de outubro de 1997 até 22 de maio de 1998. A abertura da novela mostrou fotos de momentos entre mãe e filha, Regina Duarte e Gabriela Duarte. A maior audiência da novela foi no penúltimo capítulo da novela, onde a audiência foi de 58 pontos com picos de 62. Outro momento em que a audiência foi lá em cima aconteceu por volta do capítulo 51, quando ocorreu a troca de bebês. A  média foi de 53 pontos com picos de 61.

Reveja a abertura de Por Amor:

Vera Fisher

vera As Helenas de Manoel Carlos

Um acidente de trânsito acaba unindo Helena e Edu. Ela é esteticista e ele recém formado em medicina. Tudo seria perfeito se a diferença entre os dois  não fosse de vinte anos . A família do rapaz é contra, mas os dois vão lutando contra todos os obstáculos para permanecer unidos. Mas o destino acaba pregando uma peça na vida do casal: Camila, filha de Helena, acaba se apaixonando por Edu e ele, mesmo sem notar, começa a retribuir e se envolver com a jovem. Helena abre mão do amor que sente por Edu e permite que sua filha se envolva com seu ex-namorado. Edu e Camila ficam noivos, se casam e descobrem que Camila tem Leucemia. Helena, mais uma vez entra em cena e decide engravidar de seu ex-namorado de adolescência e pai de Camila, seu primo Pedro. Helena revela para a filha que seu pai esta vivo e o filho que espera faz a doação de medula para que Camila termine a novela curada e ao lado de Edu.

Curiosidades:

Laços de Família teve 209 capítulos exibidos. Assim como Por Amor, Laços de Família teve cenas gravadas no Japão. A história da mãe que engravida para salvar a filha foi lida pelo autor em um jornal e desde então ele tinha em mente a história para uma novela. O triângulo amoroso que envolve Helena, Camila e Edu, foi pensando pelo autor para a novela História de Amor.

Camila, de Carolina Dieckmann, teve que raspar a cabeça devido à quimioterapia que sua personagem fazia. No capítulo de 11 de dezembro do ano 2000, quando a cena foi exibida, a audiência marcou 65 pontos de pico com a média de 54.

Confira a cena em que Camila raspa a cabeça:

E agora relembre a abertura de Laços de Família:

Christiane Torloni

christiane As Helenas de Manoel Carlos

Helena é uma mulher que vive sua vida sem paixão. Tem duas irmãs; Hilda e Heloísa. O destino faz com que Helena reencontre uma paixão de juventude e faz com que ela fique em dúvida sobre a vida que tem levado.  Lucas é o filho adotado por Téo e Helena, mas ela não sabe que o menino é na verdade filho de Téo com Fernanda, ex-garota de programa. Helena então decide, depois de 15 anos de casamento, arriscar e tentar viver a paixão do passado com o neurocirurgião César.

Curiosidades:

Mulheres Apaixonadas teve 203 capítulos exibidos.  Como em todas as tramas de Manoel Carlos a novela abordou temas sociais, mas de todas as suas novelas, Mulheres Apaixonadas, concentrou o maior numero delas. Câncer de Mama, alcoolismo, abandono de idosos, preconceito contra os homossexuais, violência contra a mulher, desarmamento e as mulheres que amam demais.

Como em Por Amor, a abertura foi composta por fotos, mas o diferencial é que as fotos foram enviadas pelo público. Só nos últimos capítulos que a produção da novela foi homenageada nas fotos da abertura da novela.

Assim como Laços de Família, o último capítulo de Mulheres Apaixonadas marcou 59 pontos.

Uma das aberturas de Mulheres Apaixonadas:

Regina Duarte

regina3 As Helenas de Manoel Carlos

Helena é médica obstetra, vê todos os dias o nascimento de crianças, mas guarda dentro de si um grande sofrimento. A filha de Helena, Clara, morreu bem pequena, com menos de cinco anos e Helena não conseguiu superar essa dor. Aos poucos, seu casamento também acabou. Os anos passaram e Helena adotou Salvador, filho de sua empregada que faleceu repentinamente e, ao lado de Greg tentou reconstruir sua vida. Por muito tempo Helena conseguiu superar o passado e levar a vida em frente, mas a infidelidade de Greg e a independência de Salvador fizeram com que Helena voltasse a se sentir sozinha. Sem saber o que o futuro reservava, Helena se depara com Nanda, grávida de gêmeos que chega ao hospital após ser atropelada por um carro desgovernado.  Nanda morre e sua mãe, Marta, não quer assumir a guarda da menina que sofre de síndrome de down. Helena então decide adotar a menina que tem o mesmo nome de sua filha. Os anos passam e o pai das crianças vem ao Brasil, descobre que a ex-namorada morreu e decide procurar os filhos e assumir sua responsabilidade de pai. Helena sofre com a possibilidade de perder a guarda de Clara, que todos acreditam que esteja morta.

Curiosidades:

Páginas da Vida teve 203 capítulos e marcou a terceira parceria entre Regina Duarte e Manoel Carlos.

Fernanda Vasconcelos teve sua personagem, Nanda, esticada o máximo que pôde, já que ela estava destinada a morrer após o parto das crianças. O velório de Nanda garantiu um dos maiores ibopes da novela, 56 pontos de média.

Páginas da Vida foi a primeira novela de Grazi Massafera na Rede Globo.

Veja a abertura de Páginas da Vida:

Taís Araújo

taís As Helenas de Manoel Carlos

Jovem e negra. Ano passado no encontro “Eu assisto Novela”, promovido pelo CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), no Rio de Janeiro, Manoel Carlos declarou que já tinha pensando em Taís Araújo para viver uma Helena. Mas na época, as agendas não se encontraram e ela foi reservada para ser a protagonista de Da Cor do Pecado (novela de João Emanuel Carneiro, exibida no horário das 19h). Mas ele ainda tinha um enorme desejo de ter Taís vivendo uma Helena. Na época, Maneco ainda não sabia nem sobre o que seria a história, só sabia que essa Helena seria bem diferente de todas as outras, teria outros tipos de problema e seria mais jovem.

Taís Araújo agora vive Helena, modelo de fama internacional. Pelo pouco que se sabe, Helena teve que  optar pela carreira ou um filho. Ela acabou fazendo um aborto e se tornou um sucesso das passarelas. Agora Helena tem que ajudar a mãe a lidar com sua irmã, Sandra, que está grávida do namorado, um traficante de drogas.  No amor, Helena viverá um romance com Marcos,  homem bem mais velho que ela e pai de Luciana, sua rival nas passarelas.

Confiram a abertura de Viver a Vida, que estreou ontem, com excelente Ibope:

Não posso deixar de falar em  Presença de Anita, que não foi uma novela, mas não deixou de ter “sua Helena”.

 As Helenas de Manoel Carlos

Na minissérie, Helena Ranaldi interpretou Lúcia Helena, mulher dedicada ao marido, filho e enteada, que vive uma vida infeliz.
Decidida a mudar os rumos de sua vida, Lúcia Helena vai com sua família para a cidade onde nasceu, passar o Natal e Ano novo com seu pai. O clima não é dos melhores e o pai de Lúcia Helena acaba jogando umas verdades na cara de Nando, marido dela.
O casamento, que já não era dos melhores, fica mais estremecido. Quando decidem ir embora da cidade e voltar para São Paulo, o carro onde todos estão acaba capotando e eles vão parar no hospital.
Presos na cidade, Nando e sua filha acabam conhecendo uma jovem, Anita. Que com rosto de anjo, acaba transformando a vida de todos.

Para matar um pouco as saudades desse grande sucesso que revelou Mel Lisboa, confiram a chamada e a abertura da minissérie.

Chamada:

Abertura:

Existe alguma Helena que seja sua favorita entre tantas?

Devo assumir que  em novela, História de Amor é uma das minhas favoritas, assim como  Laços de Família. Mas em se tratando de Helena,  Regina Duarte e Vera Fischer, foram dois acertos para viver essa personagem cheia de amor pela família, como são as Helenas criadas por Maneco.

   

Sobre Silvestre Mendes

Silvestre é viciado em todos os tipos de série. Gosta de drama, humor, suspense, ficção científica e das boas séries teens. Ele divide seu tempo assistindo séries, filmes e escrevendo roteiros. Sonha em morar em Los Angeles e virar roteirista de seriado. Como todo carioca, é gente boa e adora jogar conversa fora. Você também podê seguí-lo no Twitter: @SilvestreMendes

Comentários

  1. "Não adianta negar, o povo brasileiro ama novelas"

    Não necessariamente, pois não me enquadro nesse rol hehehehe

    • Tudo bem Ibertson, você assiste os seriados da HBO. Se enquadra nos fãs de série.

    • È uma história mesmo com H, o povo brasileiro não só gosta de novelas, como também adora ver coisas ruins,Manuel Carlos é dos melhores novelista que já ví,ele mostra, um fundo de realidade que presenciamos,diferentes de muitos que pensam que estão mostrando á real, mas ao mesmo tempo incentiva á violencia,o preconceito o que é pior induz á violencia aos homossexuais,digo mais eles parece estar contra é eles mesmo.Gente tem que mostrar como se deve respeita e conviver com ás diferenças as vezes as pessoas precisa só de uma alerta para se colocar no seu devido lugar,quando se mostra o que é certo e bom muitos imitam, isto é como uma escola,tem gente que ainda não formou sua própria personalidade as vezes ás pessoa envelhece procurando-a.

  2. Laura Braga disse:

    História de amor foi a minha favorita, embora goste muito de todas as tramas do Manoel Carlos…essa mexeu pq marcou uma fase boa da minha adolescencia. Saudade da trilha sonora *_*

  3. joao melo disse:

    Além dessa paixão reprimida por algima mulher chamada Helena, o autor Manuel Carlos teve esse amor reprimido embalado nas musicas da bossa nova. É uma outra tara do Maneco, essa implicancia em tocar esse genero musical em suas novelas, chega a ser irritante!

    • João, não acho que tocar bossa nova seja implicância, mas um gosto pessoal dele e que combina com o local, Leblon, onde a novela é parcialmente gravada e também com as histórias dos personagens.

  4. cleodon ventura disse:

    Não sou lá aficcionado em novelas e tal, mas sinto saudades de tramas como presença de anita, em fim, desejei uma anita na minha vida… …porém enfrentaria dez anos de guerra pra não perda minha helena… …e não perdir.

    Outro ponto a fovor do "maneco" é sua forma de incentivar o engajamento social sem ser piegas e "pedinte", ela desnuda o "problema" e você se engaja por vocação e não por "aporrianhação"

    Tenho Dito!

    • Pois é Cleodon. Maneco faz a "Propaganda" da verdade nas novelas. Ele humaniza os personagens e faz com que todo mundo se sinta na pele de alguém com um problema de saúde. Não é de se negar que ele consiga mexer com temas que ajudam a sociedade como um todo.

  5. Paulo Rodrigues disse:

    Muito bom este resumão de Helenas, parabéns!

  6. Magari Mayumi Fukasa disse:

    Nao sou Helena, sou uma mulher de 53 anos que pareçe ter l00 de tantas experiencias em minha vida ao contrario de muitas mulheres sofridas que parecem estar envelhecidas de tantas lutas, eu nao e isso deve ser por que apesar de tantoooo procurar a felicidade ao qual ainda acredito nao o encontrei, mas continuo procurando hoje estou no Japao a trabalho mais uma etapa da vida meus 2 filhos l do coraçao e l que Deus me deu. E eu sei que muitas vezes o exemplo de minha vida serviu de conselho para algumas amigas tenho certeza. Enfim acho que tudo o que passei daria um bom romance.

  7. JOÃO M DA S N disse:

    Interessante este blog-memória sobre as novelas de Manoel Carlos.Só que no Fantástico Júlia Lemmertz apresentou um quando identico a este, entrevistando inclusive as Helenas que estão entre nós, com cenas também da novela.

    Outra coisa, é que o fato da primeira atriz negra a protagonizar uma novela do horário nobre da TV Globo deveria ser motivo de vergonha para a emissora e para toda sociedade brasileira pela negação do trabalho e do talento desses atores ao longo da história das telenovelas brasileiras e não manchete/notícia com vem sendo divulgado pelas diferentes mídias do país. Vale lembrar que Ruth de Souza alcançou o posto de protagonista nessa mesma emissora no início da rede de televisão, mas isso já é uma outra história.

    • João, eu soube que a Júlia foi repórter por um dia no fantástico. Não vi o programa, mas vou procurar na internet para assistir. Acredito que tanto a ideia do fantástico quanto a nossa tenha sido a de homenagear. Manoel Carlos é um autor ímpar e essas atrizes viveram uma personagem única, Helena.

      Sobre a atriz negra, acho que devemos comemorar, todos. Mesmo que com um atraso, uma protagonista negra esta assumindo a novela de maior audiência no nosso país. É um absurdo isso só acontecer agora, mas que bom que esta acontecendo, não é mesmo? Assim as coisas mudam e o preconceito acaba e outras novelas da Globo ou de outras emissoras, podem seguir o mesmo caminho. Obrigado pelo comentário.

  8. Erika Torreão disse:

    Eu adoro todas as novelas de Manoel e todas as Helenas foram perfeitas.

  9. Helena Cuha disse:

    Sim, fico sempre feliz quando o autor dessas novelas coloca e suas protagonistas o meu Nome, que por sinal, acho lindo. E, creio, ele também o acha. .H

  10. oi! adorei o resumo! eu nao sou brasileira, mas adoro as novelas brasileiras, especialmente as desse autor!

    e falando no assunto, nao so o povo brasileiro adora novelas, o nicaraguense tb, em especial as brasileiras, sao as melhores! parabens!

    • ROBSON disse:

      Creio, que a realidade das novelas do autor, não condiz com a realidade do povo brasileiro, onde a personagem mais pobre mora no Lebron rsrsrsrs, um absurso , não? … Mas, o povinho gosta de sonhar, sonhar e sonhar não custa nada já dizia a velha canção.

  11. charifa disse:

    oi silvestre gostei do resumo k fizeste achei muito fofo,cotinue sempre assim trazendo nos novidades sempre.bjx

  12. doris rejane mendes disse:

    Assisti ontem(14.09.2009)um programa que falava da primeira Helena(Isabela Garcia,com 13 anos),fiquei na dúvida, pois sempre soube que a primeira era Liliam Lemmertz em Baila Comigo!Como apareceu no fantástico!Penso que foi erro do programa,estou certa,né?obrigada

    • Doris, Isabela garcia se chamava Maria Helena em Água viva e a novela foi de Gilberto Braga com a colaboração de Manoel Carlos. A primeira Helena foi a Liliam Lemmertz, mas poderia ter sido Fernanda Montenegro. Obrigado pelo comentário e espero ter esclarecido a dúvida. Volte sempre.

  13. Robson Ferraz disse:

    Creio , que algumas novelas , tratam de assuntos que não condiz com a realidade brasileira, em geral as novelas desse autor girar em torno de um espaço minimizado, ou seja, onde a pesornagem mais probre é de classe média alta; o que torna a trama um sonho. pois o povo brasileiro vive de sonhos, eta povinho bobo…. no término da novela, quando vai oa mercado , quando vai ao hospital … todos somos uma Helena.

    • Olá Robson. Gostei da sua opinião, mas acho que você poderia também ver de outras formas as novelas do Maneco. Os assuntos que ele trata condiz com qualquer condição social. Você pode ter sido trocado na maternidade e não saber, por exemplo. Alguém da sua família pode acabar precisando de um transplante de medula… Não sabemos quando os temas das novelas dele, que é ficção, podem se cruzar com as nossas vidas ou a vida de alguém que conhecemos.

      Existem níveis de pobreza explorados em novelas, acredito que aquele da classe mais baixa, realmente, não faça parte dos personagens dele, mas que não deixam de contar uma história. Novela é ficção, não precisa tentar ser a vida real. Se fosse, não seria vista em nove meses, mas em anos.

      Abração e obrigado pelo comentário.

  14. helena ismael disse:

    oi, eu sou angolanna e ns adoramos novelas…eu particularmente nao perco uma unica…sendo helenna sou apaixonada pelas do manoel carlos, ms a minha favorita e a regina duarte….sucessos p tdas elas.bj………..

  15. Rose Matos disse:

    Ué, gente, ninguém lembrou de outra mania do Maneco…A fixação por José Mayer que está presente em quase todas as ramas como par romântico da sofrida Helena…Inclusive é o calhorda de Presença de Anita…Será que não tem outro galã, não???De qualquer forma o blog está de parabéns, afinal minha mãe que também é uma heroína se chama Helena…

  16. Isac Santos disse:

    A trama da novela "Felicidade" foi muito positiva, inspirada e muito bem realizada!!Sem duvida uma das melhores novelas, não somente do Manoel Carlos, como da própria teledramaturgia. Maitê Proença estava muito bem como uma Helena. Ao lado de Cristiane Torlone a que melhor interpretou a Helena do Autor. Sem feminismos e artificialismos!! O que algumas atrizes confundem é justamente isso: O autor fala do Universo Feminino. Mas há diferença entre isso e o feminismo chato, cansativo e sem sentido como o da Marta Suplicy. Maitê e Cristiane foram as unicas que captaram isso. As outras Helenas foram chatas, personalistas, e "donas" da verdade!!

    Quanto a Felicidade as cenas de maior impacto e inesqueciveis foram protagonizados pela inesquecivel personagem Débora, vivida pela excelente Viviane Pasmanter em sua primeira Novela. Interpretou uma vilã com maestria de veterana e roubou a cena. Uma das melhores vilãs da teledramaturgia e uma interpretação memorável!!

    Felicidade é a melhor novela do autor!!!

    • Olá Isac. Eu era bem pequeno na época de Felicidade e lembro que sentia medo da Débora, ela era louca. Mas foi um papel feito brilhantemente pela Viviane Pasmanter. Lembrando que ela fez a Laura de Por Amor, onde os barracos eram os melhores!

      Obrigado pelo comentário e volte sempre.

  17. Boa tarde queridas amigas. olha eu sou o paulo da cruz gomes vive em Angola na provincia de cabinda e eu gosto muito das novelas brasileira e eu quero que me viau sempre as novidade so isso beijos para voces.

  18. Gabriel Prado disse:

    Além das "Helenas", maravilhosas, as novelas do Manoel também revelam muitos novos e excelentes talentos, além de oferecerem uma grande oportunidade de destaque a personagens aparentemente secundários, mas que assumem sua importância ao longo das tramas, chegando a protagonizar, em determinados momentos, os capítulos de suas tramas. Quem não se lembra da Milena (Por Amor), Débora (Felicidade), Orestes (Por Amor), Fernanda (Mulheres Apaixonadas), Sílvia (Mulheres Apaixonadas), Íris (Laços de Família), Íngrid (Laços), Camila (Laços), Álvaro (Felicidade), Chico Treva (Felicidade), Joyce (História de Amor), e tantos outros, que por hora ficam em nossa memória…

    Gostaria de sugerir a criação de uma "Helena" para outras ótimas atrizes, como Lucinha Lins, Natália do Vale, Kássia Kiss, Glória Pires, Malu Mader, Isabela Garcia, Cláudia Abreu e outras…

  19. Helena disse:

    Tais vai ter q rebolar mt,p conseguir alcançar a simpatia do público

    visto q tem talento mas não carisma,como as outras Helenas.Espero q seja

    mais humilde…..

    • Helena, eu estou gostando dessa Helena do Maneco. Gostei do modo como a Tais está levando a personagem. Espero que ela tenha cenas onde o talento dela seja realmente potencializado. Obrigado por ter comentando no especial, volte sempre!

  20. Henrique disse:

    ….é muito repetitiva as novelas de Manoel Carlos ! Abertura/leblon/Alcolismo/Mulheres histéricas/filhos mimados etc… Cansei…

  21. Amo as novelas do Maneco! tenho em andamento um projeto acadêmico sobre telenovela e as personagens escritas por ele sempre tem bastante destaque nas pesquisas!

  22. Helena disse:

    Adoro todas as novelas do Manoel, mas Historia de Amor e Por Amor foram as mais lindas, adorei recordar uma parte das novelas, e adoro quando o Manoel exibe uma protagonista que leva o meu nome, isso é muito bom.

    • Olá Helena, você tem um nome importante para a nossa dramaturgia. História de Amor é uma das minhas favoritas!

      Volte sempre ao NaTv e obrigado por registrar as novelas que você gosta. Beijão, Helena.

  23. Luciana disse:

    Adoroooooooo…

    todas as novelas de Manoel Carlos são maravilhosas e até que enfim ela mudou de Helena por que eu não aguentava mais vê Regina Duarte como Helena, apesar de gostar muito da atriz, mas tô adorando Taís como Helena ela é completamente diferente de todas as Helenas já vividas. Maneca espero que essa novela seja tão boa quanto as outras. BEIJOS!!!

    • Luciana, também espero que Viver a vida seja tão boa quanto as outras novelas dele. Regina Duarte fez Três Helenas. Hora de ir para outras atrizes que também merecem o posto, não é mesmo?

      Obrigado pelo comentário e volte sempre!

  24. angelo Aires disse:

    adorei as helenas, a minha favorita e a tais araujo

    • Angelo, minha Helena favorita é da Vera Fischer em Laços de Família. Me apaixonei por aquela Helena. Ah Regina Duarte não conta, foi três vezes.

      Obrigado pelo comentário, volte sempre!

  25. Bianca disse:

    Na verdade já tivemos a Tais Araujo como protagonista de uma novela das 7 (Da cor do pecado). Isso não é considerado horário nobre?

    • Bianca, o horário nobre da TV começa as oito da noite. De fato da cor do Pecado ainda era exibida nesse horário, mas passava as sete. A primeira protagonista Negra e Helena é a Taís Araújo de novo.

      Obrigado pelo comentário e volte sempre.

  26. mayumi disse:

    Nunca fui de assistir novelas, mas essa matéria sobre as "Helenas" me despertou muita curiosidade…

    Vivendo e aprendendo, eu julgava a novela como "cultura inútil", e vi que há conhecimentos para serem aprendidos tb.

    • Mayumi, muitas pessoas julgam a novela. Não acho que todas sejam profundas ou que abordem temas relevantes, mas algumas fazem isso. Se você pensar que todas as classes sociais assistem novela, é impressionante saber que aquele autor esta ensinando uma pessoa que não sabe ler e escrever, que deve procurar o médico se encontrar um caroço no seio, pois pode existir algo grave e que necessite de cuidados ali. Novela informa muito mais do que podemos imaginar. Dê uma chance a Viver a Vida.

      Obrigado pelo comentário, beijão e volte sempre.

  27. Lourdes disse:

    Só vejo novela esporadicamente aos sábados mas sempre gosto de ler a respeito, minha Helena preferida é a vivida pela Christiane Torloni, pois ela se distanciou dos paradigmas da mulher de sempre que resignada abandona alguns sentimentos e convicções em prol do amor e convencionalmente acredita que "TODA mulher " isso e aquilo … apesar das novelas do MC me encomodar um pouco, suas histórias são muito a minha vida, a minha familia de um jeito ou de outro, talvez nossos anseios estejam voltados mais para a ficção fantasiosa que nos traga algo diferente do dia a dia.

    • Lourdes, não lembro qual foi o autor, mas ouvi uma vez algo que cabe exatamente nesse seu comentário: Existe algo mais absurdo do que nossas vidas no dia a dia? É uma verdade. Nossas vidas beiram, por vezes, ao absurdo e não são uma novela. É aí que o Maneco constrói as Helenas dele, que são humanas e erram, e todo o conjuto da obra.

      Obrigado pelo comentário, volte sempre!

  28. Ângela disse:

    Me chamo Ângela, tenho 48 anos, mas enho aparência de bem mais jovem,

    A minha história de vida poderá ser tema de uma nova Helena

    Numa próxima novela de Manoel Carlos.

    É a história de uma mulher que perde sua filha, vítima de câncer (linfoma)

    Uma mulher separada, que cuida sozinha da filha doente, do netinho e ainda

    Trabalha fora. Tem um apego muito grande pelo neto, que passa a chamá-la

    de mamãezinha, a vida é dedicada a esse neto-filho e todos no trabalho, na cidade

    acompanha a vida dessa jovem avô, que com aparência de menina, quem não a

    conhece pensa que é a verdadeira mãe do menino de 4 anos. Quando sua filha

    morre, já no velório da filha começa seu outro drama, a família do pai do menino,

    juntamente com o pai, que tirar o menino dela, desesperada ela começa uma

    luta para ficar com o menino, passa a noite acordada chorando, quando eles levam o menino, para trabalhar tem que pedir ajuda do vizinhos para deixar o menino, quando

    não tem com quem deixá-lo, morrendo de medo dos avôs paternos ficarem sabendo

    e levar de vez o menina, desesperada pensa em abandonar o emprego, ir para outra

    cidade onde mora sua família, pois é completamente sozinha, sem nenhum

    parente onde mora ……..

  29. Dulce Ivete disse:

    Oi, sou de Mocambique cidade de Maputo ( Africa) vi todas as novelas do Maneco, nome bonito do meu irmao.. Adoro o Manoel Carlos, as suas Helenas foram fantasticas..Ele esta de parabens e vc tbem pela homenagem.

    • Olá Dulce, muito obrigado por ter lido meu especial. Foi uma homenagem ao maneco e as Helenas, vividas por atrizes incríveis. Gostei de saber que nossas novelas fazem tamanho sucesso fora do Brasil.

      Volte sempre ao NaTv e obrigado mais uma vez.

  30. Helena Tanaka disse:

    Também gostei muito desse resumo! Parabéns! E ao Maneco também, adoro suas novelas! A nossa vida é, realmente, uma novela e eu, particularmente, ainda acredito e sonho com finais felizes!

    • Helena, obrigado por ter comentando em um especial que leva o seu nome. Também acredito nessa aproximação das novelas e nossa vida cotidiana. Tudo é tão fantástcio, absurdo, que é impossível não acreditar que a ficção e realidade não se encontrem.

      Volte sempre ao NaTv e tenha o seu final feliz. Estou na torcida.

  31. FElipe disse:

    Novela é a pior coisa da tv aberta… Desde o começo ja se pode saber o final…

    A superficialidade e a falta de criatividade mostram isso… Se novela ñ fosse tão previsivel seria chata do mesmo jeito pq toma trama se passa envolta da mesma trama, com vilões tentando atrapalha a vida dos mocinhos… E novela sempre fala da alta sociedade carioca… Meu dels, esse povo é mto arrogante… Acho q os autores pensam q só existe duas cidades no Brasil, São Paulo e Rio de Janeiro…

    • Felipe, todas as história já sabemos o final. Já foi ao cinema assistir uma comédia romantica sem saber o final? Um filme, mesmo que seja de terror, já sabemos o final. Novela tem um final que se segue, mas a história que é contada ao longo dos meses é que faz toda a diferença.

      Nem todas as novelas se passam no Rio e São paulo. Um exemplo foi Da cor do pecado que metade da história era Rio de Janeiro e Maranhão. Mas tivemos outras histórias que se passaram em outros estados. Como uma onda, por exemplo, a trama toda se passou em Florianopolis.

      Sobre os vilões eu concordo, mas são como as bruxas, existem. Podem não revelar que são, mas olhando ao seu redor, vai saber que alguém já fez algo do gênero pra prejudicar outra pessoa.

      A realidade nos dias de hoje supera a ficção.

      Obrigado pelo comentário e volte sempre! Mesmo que não veja novela, assiste seriados, né?

  32. Alberto de Avyz disse:

    Silvestre,

    parabéns pelo resumo! Admiro quem faz este jornalismo independente e se sai bem!

    Quanto às Helenas, só tenho que concordar com o Maneco; papel bóm só existe para mulher! E tenho dito!

    Quanto a Taís Araújo, torço por ela desde o filme "Garrincha, Estrela solitária"; onde ela mostra que é uma diva da atualidade. Por isso, acredito que ela possa ser a grande alavanca para a participação de atores negros a partir de agora na teledramaturgia brasileira.

    Quem não viu, veja o filme e note que eu não estou sendo deslumbrado ao falar 'da menina…'

    • Alberto, muito obrigado pelo elogio. Maneco tem a visão mais acertada. Homem não fala tanto quanto a mulher. Elas contam os problemas delas e dos outros. Contam como estão vivendo, como vai a vida… Os homens são mais reservados. Como se faz uma novela centrada nos homens? Dificil, por isso o mestre, Manoel Carlos se sai bem.

      Não assisti ao filme, mas pode ter certeza que irei. Obrigado por comentar nesse especial. Fiz de coração.

  33. janaina disse:

    Com certeza 'História de Amor', pra mim, é a melhor novela do Manoel Carlos… com a melhor Helena. Gostei de Mulheres Apaixonadas também….

    A pior novela dele, na minha opinião, foi Páginas da Vida… com a pior Helena também.

    • Janaina, Páginas não é a minha novela favorita também. Já História de amor é especial. Que história, helena, elenco…Foi perfeita! Espero que esteja gostando de Viver a vida, estou adorando.

      Obrigado pelo comentário, volte sempre!

      bjs

  34. Roberta Camargo disse:

    Silvestre,

    matéria show de bola, com muito conteúdo disposto de forma concisa e interessante para o leitor.

    parabéns!

    ainda achoq vc podia fazer jornalismo kkkkk

    o Zé Mayer é mó pegador! Nêgo tem inveja dele, pq ele passa o RODO MESMO!

    huauhauhahuahua me divirto com isso!

    beijãão

  35. A Helena da novela "Viver a vida" está mais para a Tereza personagem da Lília Cabral do que para a Taís Araújo, a Lília está dando um banho de interpretação. A cena com a cartomante foi impecável. Enquanto que a Taís não consegue passar a simplicidade e a doçura que exige a sua personagem. Ao contrário é arrogante mesmo quando quer ser simples. Imagina-se que a Helena desejada pelo Maneco fosse uma mulher simples, meiga e bom caráter. No entanto, quem está conseguindo ser meiga e simples – contrário a sua personagem Tereza – é a Lília Cabral.

    Se fosse para escalar uma Helena de cor, por que não chamaram a Camila Pitanga ?. A Personagem que ela faz na novela "Cama de Gato" se encaixa perfeitamente na Helena que o Maneco desejaria ver na "Viver a Vida". Vocês não acham ?.

  36. Mary Ramos disse:

    Cena do perdão

    Meu Deus!!!!!!!!!!!!!!!!a que ponto chega o ser humano. foi uma das cenas mais idiotas que já presenciei em telenovelas. Assisti porque a chamada no dia anterior foi forte. Mas na hora que a personagem ajoelhou…não entendi nada. Foi um tapa na cara de todas as pessoas que precisam sacrificar momentos de suas vidas por motivos que já estamos cansados de ver, ouvi e ler.

    Sinceramente, espero que o outor saiba sair dessa revertendo a história. sofrer com a culpa, isso é inegável, agora humilhar uma mulher pelo seu passado, fugiu um pouco do contexto no momento de acerto de contas.

  37. Fabiana disse:

    Olá Silvestre,

    em primeiro lugar, parabéns pela iniciativa. Ficou muito boa sua retrospectiva das Helenas. Elas fez-me rememorar as novelas do Maneco. Infelizmente, apesar de gostar de telenovela, não sou boa de memória como você.

    Em segundo, fiquei positivamente surpresa em ver um homem tão interessado e motivado por novelas. O senso comum sempre diz que são as mulheres que se interessam por tal produto cultural. Mais um tabu por terra. Que bom!

    Outra questão: onde você colheu tanta informação? Existe algum tipo de museu das telenovelas brasileiras?

    Respondendo a sua questão, estou gostando muito dessa atual Helena, interpretada por Taís Araújo, embora me pareça que o Maneco a esteja colocando de lado nas cenas e dando preferencia as personagens de Aline Moraes e Lilia Cabral. Nem parece que Taís Araújo protagoniza? Você sabe por que ela aparece tão pouco embora seja a protagonista?

    Grande abraço.

  38. A dominacao em massa eh a verdadeira tragedia do seculo 21. Basta observar as novelas machistas e o eterno discurso patriarcalista que, insisto, nada tem a ver com tradicionalismo religioso e sim com um machismo retrogrado, indecente e violento. Repare na ideologia da novela das oito. O que significa aquele bando de mulheres desocupadas em volta da piscina, disputando quem tem o menor Q.I? E a paparicacao das modelos ao garanhao com crise da meia idade? Sem falar que Ze Mayer esta mais para vovozinho dando comida para pombos na pracinha, do que para gala de mocinhas esbeltas. Toda essa opressao ideologica eh fruto de uma alienacao cultural machista e patriarcal. Socorro! Bj

  39. carina disse:

    A novela Viver a Vida está insuportável…..Para que tanta traição! Ainda existe amor, amizade, respeito….Tanta falta de compaixão. Como seres humanos conseguem viver felizes construindo histórias em cima da infelicidade de outros. A destruição não traz felicidade. Não dá para ser feliz e viver bem com tanta sacanagem….. Não existe felicidade em cima da infelicidade de outro. Vamos plantar coisas boas para então colher coisas boas. Que o Manuel Carlos possa acreditar no verdadeiro sentido do amor….Se ainda está vivo, existe esperança!

  40. Helena_valdevite disse:

    Parabéns pela novela ! A novela mostra exatamente como são as helenas de verdade .. realmente elas são guerreiras , lindas e determinadas !

Seu Comentário

*